Notícias

Compra e venda só com o corretor

Ter um corretor de qualidade e de confiança é imprescindível numa negociação de um imóvel.

Vender, comprar ou alugar são negócios que necessitam de conhecimento do mercado imobiliário e financeiro. Você pode até fazer estas transações sozinho, mas, corre o risco de não dá certo por falta de informação. Mesmo com as facilidades que hoje a internet coloca à disposição, é preciso ter cautela, porque há muitas pessoas que dão golpes em vendedores novatos e inexperientes.

Ter um corretor de qualidade e de confiança é imprescindível numa negociação de um imóvel. O corretor é um profissional treinado e conhece todos os mecanismos que envolvem uma transação imobiliária. Ele sabe identificar quando uma proposta é real, quando um negócio será fechado, além de conhecer todo processo que envolve, avaliação, legislação específica, contrato e o pagamento.

O corretor de imóveis é o único profissional habilitado por lei a intermediar uma negociação imobiliária, ressalta o presidente do Creci RJ, Manoel da Silveira Maia. Ele lembra que todo corretor tem que ter o registro no Conselho, que é obrigatório. “Somente o corretor é autorizado a intermediar transações imobiliárias, como estabelece a legislação que regulamentou a profissão (Lei 6.530/78 e Decreto 81.871/78)”.

A relação com um corretor tem que ser de plena confiança

A relação com um corretor tem que ser de plena confiança. Porque, afinal, é o corretor quem vai avaliar se o imóvel está ou não dentro de uma faixa de preço compatível. É ele que conhece e sabe como evitar todos os riscos de uma transação imobiliária. Estes são alguns pontos que a lei garante a quem compra/vende com um corretor. Uma maneira de assegurar ao cliente que ele tenha uma negociação positiva e não venha a ser enganado por pessoas de má fé e sem conhecimento do código de ética.
O Creci RJ tem feito fiscalização e campanhas em todo o estado do Rio de Janeiro para proteger a sociedade. “Tal intuito demonstra quem pode ser contratado, afastando aqueles que não inspiram confiança e não defendem a sociedade, apenas interesses próprios. A fiscalização atua de maneira firme para impedir que pessoas não credenciadas façam a intermediação imobiliária”, destaca Maia.⬤

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *